O que me preocupa no momento é racismo

O racimo ainda esta presente no nosso dia-a-dia e que é fácil tirar o racismo, mais fácil do que imaginamos. Uma joven de 16 anos conta as suas preocupações.

 Olá, sou Graciele e tenho 16 anos. O que me preocupe neste momento, é o racismo. Ainda esta presente no nosso dia dia. Ninguém optaria por ser minoria e sofrer preconceito. No meu dia-a-dia posso observar o preconceito em vários lugares.

Racismo: É um preconceito onde existe um grupo de pessoas que se acham superiores as outras e que seu ponto de vista e suas ideologias são caracterizados por apontar defeitos, gostos, tradição e comportamentos diferentes.

E inacreditável, mas com o mundo tão moderno ainda ocorre racismo, não entendo as pessoas que querem ser melhores que as outras, não e por que uma pessoa e negra que ela não dever ter expectativas na vida, não e por que uma pessoa e negra que dever ter um ensino de má qualidade e morar em lugares ruins. No Brasil não existe brancos ou negros todos nós temos sangue misturado, mas mesmo tendo essa consciência ainda existe muito preconceito racial. A lei proíbe a descriminação racial, ou seja, a separação de raças diferentes. Mas só com a lei não podemos resolver esse problema do racismo precisamos de toda a sociedade juntas para denunciar essas injustiças.

Das pessoas que morrem de forma violenta no Brasil, 68% são negros. Dentre os presos, 61% têm a pele de cor preta ou parda. A maioria está encarcerada por pequenos crimes, muitas vezes sem julgamento. Os dados mostram uma realidade que a gente insistir em esconder: o racismo no Brasil Pela primeira vez na História, A população do Brasil deixa de ser predominantemente branca. Pelos dados de 2010, as pessoas que se declararam brancas são 47,73% da população, enquanto em 2000 eram 53,74%.Até agora, os brancos sempre tinham sido mais que 50%. “A cada três jovens assassinados no país, dois são negros.”

Poderíamos evitar que mais pessoas entrem na “vida do crime” melhorando o ensino nas escolas publicas, as condições de moradia e a melhora do salario mínimo, pois muitas vezes esse dinheiro não da pra pagar as contas e muitas vezes falta oque vestir e oque comer. Por isso acho que jovens acabam entrando na “Vida do crime” para melhorar suas condições de vida. muitos não passam dos 22 anos. “Eu acredito que a melhor arma contra o racismo e o preconceito ainda seja a educação na escola e em casa”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *