Sínodo Espírito Santo a Belém emite nota sobre a tragédia da menina de 10 anos

BRASIL-

“Não podemos, como Igreja, simplesmente entrar na “onda” midiática e, também, fazer barulho. O sofrimento é grande demais para ser aumentado. […] Mas também não podemos ficar no silêncio dos indiferentes, dice Sínodo luterana Espírito Santo a Belém.

Precisamos levantar nossa voz profética.”O manifesto também relembra posicionamento oficial da IECLB, surgido a partir de um caso semelhante.

“Essa realidade nos desafia a avançarmos na reflexão e implementarmos políticas de justiça de gênero, com ações concretas que visam combater a violência sexual. É necessário que o combate a essa violência seja concreto, permanente e organizado. Para isso, a palavra de Deus convoca todos e todas nós.”

O Sistema das Nações Unidas no Brasil manifestou nesta terça-feira (18) solidariedade à menina de 10 anos sistematicamente violentada sexualmente — supostamente por um familiar — no Espírito Santo, e disse apoiar as iniciativas das autoridades nacionais para apurar e processar, de acordo com o devido processo legal, este crime.

Ler íntegra:

Irmãos e irmãs na fé em Cristo!

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus” (2 Coríntios 1.3-4).

Temos acompanhado, com perplexidade, os contornos midiáticos que envolveram a tragédia da menina de 10 anos, vítima de estupro, em São Mateus-ES. É lamentável que casos assim sejam uma constante em nosso país. Infelizmente, os múltiplos posicionamentos, contra e a favor da interrupção da gravidez, apenas a expuseram ainda mais e, certamente, aumentaram seu sofrimento. Não podemos, como Igreja, simplesmente entrar na “onda” midiática e, também, fazer barulho. O sofrimento é grande demais para ser aumentado.

Mas também não podemos ficar no silêncio dos indiferentes. Precisamos levantar nossa voz profética. Como primeira atitude, a igreja expressa o seu lamento de dor e de indignação. Precisamos chorar e lamentar pelo desrespeito à vida, expressa de forma concreta nesse caso. Que isso possa ser feito em nossas diversas formas de orações e lamentações, individuais e coletivas. O momento é de oração e de compaixão para com esta menina. O Kyrie dos cultos, no próximo final de semana, certamente é um momento oportuno para fazê-lo.

Em um segundo momento, podemos lançar mão daquilo que a Igreja já pensou e produziu. Temos um posicionamento oficial, surgido a partir de um caso semelhante (www.luteranos.com.br/conteudo/discernimento-etico-uma-perspectiva-evangelica-de-confissao-luterana-2009). Essa realidade nos desafia a avançarmos na reflexão e implementarmos políticas de justiça de gênero, com ações concretas que visam combater a violência sexual. É necessário que o combate a essa violência seja concreto, permanente e organizado. Para isso, a palavra de Deus convoca todos e todas nós.

Que a palavra de Deus se manifeste em cada um e cada uma de nós, estimule a reflexão e ação para que um dia possamos celebrar o fim da violência sexual.

P. João Paulo Auler
Presidente da Diretoria do Conselho Sinodal – SESB

P. Ismar Schiefelbein
Pastor Sinodal – SESB

Nota:

A Presidência da IECLB apoia e subscreve os encaminhamentos e o posicionamento do Sínodo Espírito Santo a Belém.
Pa. Silvia Beatrice Genz – Pastora Presidente da IECLB
P. Odair Airton Braun – 1º Vice Presidente da IECLB
P. Dr. Mauro Batista de Souza – 2º Vice Presidente da IECLB 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *