Metodistas Unidos em Honduras enfrentam tragédia com solidariedade

Em Valle de Sula e Villanueva, as igrejas abrigam famílias e fornecem alimentos em colaboração com vizinhos das comunidades. Foto cortesia da Missão Metodista Unida de Honduras.

HONDURAS-

Por Rev. Gustavo Vasquez , Notícias MU-

A passagem do Furacão Eta por Honduras, deixou devastação e desespero entre a população hondurenha, que chora a morte de mais de 70 pessoas e vive a experiência de ter mais de 1 milhão e 800 mil pessoas afetadas, até o momento em que esta notícia é escrita. 

As chuvas e inundações afetaram várias áreas do país, especialmente a zona norte em San Pedro Sula, Yoro e Cortés. De acordo com a mídia local, o Eta danificou mais de 100 centros de saúde e afetou a infraestrutura rodoviária em Honduras, deixando 21 pontes destruídas e 100 estradas danificadas. Isso fez com que várias áreas do país permanecessem isoladas, quando ainda são registradas enchentes em áreas como o Vale do Sula. 

Yorleni Jiménez é uma missionária dos Ministérios Globais da Igreja Metodista Unida (GBGM) e atualmente atua como Diretora de Programa da Missão Metodista Unida em Honduras. Ela, junto com uma equipe e líderes, tem coordenado a resposta à emergência e o apoio às congregações locais, que atendem várias comunidades afetadas: “A situação em Honduras é crítica, porém não recebemos a notificação de que houve mortes entre os membros da Igreja Metodista Unida em Honduras”. 

De acordo com o que Yorleni descreve, tem sido difícil ter acesso a muitos dos locais afetados, devido às condições das estradas e às inundações que ocorreram: “Esperamos poder trazer uma ajuda muito mais eficaz do que fomos capazes de fornecer até o momento. Desde agora, vários pastores têm ajudado suas comunidades distribuindo alimentos, cooperando com o resgate de pessoas afetadas, preparando e apoiando abrigos seguros para as pessoas afetadas. Dois de nossos pastores foram mantidos incomunicáveis por vários dias e ficamos muito preocupados com eles. Graças a Deus eles conseguiram se comunicar e sabemos que estão bem”. 

Atualmente, alimentos, artigos de higiene pessoal e insumos são necessários para evitar a propagação da COVID-19 (máscaras, materiais de limpeza, desinfetantes, etc…), bem como roupas e materiais de construção, para reparar as casas que foram gravemente afetadas. “As necessidades são grandes, mas o povo da Missão Metodista Unida de Honduras está respondendo à extensão das possibilidades e às coisas que estão ao seu alcance.” 

As Igrejas Metodistas Unidas do Bom Samaritano em Tocoa, La Ceibita; Casa da Paz em Villanueva, Cortés; e no Vale do Sula, têm recebido vítimas que perderam todos os seus bens, abrindo abrigos temporários em igrejas e outros espaços nas comunidades: “O refeitório da igreja no setor El Negrito em Yoro, está dando apoio com almoços para as pessoas afetadas”, disse Jiménez. 

Por sua vez, o Pastor Félix Medina, que dirige Villanueva IMU na cidade de Cortés, descreve a situação como catastrófica: “As pessoas perderam tudo. Muitos permaneceram dias nos telhados de suas casas, até serem resgatados pelo pronto-socorro, pelos vizinhos ou pelos próprios parentes”, contou o pastor. 

Medina, como outros pastores e líderes das igrejas locais, tem ajudado a resgatar famílias, transferir os feridos e abrigar as vítimas no templo: “No momento tenho 30 adultos e 30 crianças abrigadas. O que vamos precisar são camas e fogões; Bem, todo o básico de uma casa, porque por enquanto até que melhore, eles têm que alugar uma casa para viver com dignidade”, disse o pastor Medina. 

Os líderes da missão (Superintendente, Coordenador do Programa e Coordenador do Voluntariado Metodista Unido na Missão -UMVIM), oficiais da GBGM e representantes do Comité Metodista Unido de Socorro (UMCOR) reuniram-se para gerir o apoio deste organismo que cumprem a missão,realizando as tarefas de atenção às vítimas. “Estamos administrando apoio financeiro para ajuda imediata em face da emergência”, disse Jiménez. 

Da mesma forma, ela acrescentou que esperam receber este apoio financeiro “para ajudar algumas das famílias afetadas que se refugiaram em 3 Igrejas Metodistas Unidas, que estão sendo usadas como centros de evacuação, onde esperamos fornecer-lhes alimentos, artigos de higiene e suprimentos para prevenir a propagação do COVID-19”. 

A possibilidade de aumento descontrolado das infecções virais, pela dificuldade de manutenção das condições de distanciamento social e demais medidas preventivas, no processo de evacuação e resgate de famílias inteiras, faz parte da preocupação da liderança eclesial e as autoridades do país. 

De acordo com Katherine Hill Uzoka, Gerente do Programa UMCOR, a contribuição inicial será da ordem de US $ 10.000: “Esses recursos serão usados para facilitar a compra de suprimentos para atender a emergência em várias das comunidades afetadas. Sabemos que as necessidades são grandes e que o povo da Missão Metodista Unida de Honduras necessita deste apoio para atender à emergência nas áreas mais afetadas”. 

A Missão Metodista Unida em Honduras é a única presença oficial da Igreja Metodista Unida na América Latina e tem mais de 20 congregações e ministérios operando em várias regiões do país. 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *