CESE segue reafirmando seu compromisso com a luta dos povos indígenas

BRASIL-

A CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviço faz parte das organizações do consórcio ALC Noticias.

Desde o Brasil colônia até os dias atuais, os povos originários vêm sofrendo com processos de violência, opressão e expulsão dos seus territórios. Como se não fosse suficiente os desmontes de direitos, invasão dos seus territórios e ataque às demarcações, populações indígenas resistem à pandemia, enchentes e queimadas. Segundo o Relatório Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil – dados de 2019, publicado anualmente pelo Conselho Indigenista Missionário (CIMI), essa situação “evidencia que os indígenas enfrentam um dos momentos históricos mais desafiadores desde a invasão dos colonizadores”.

Nesse momento a população indígena está entre os grupos mais vulneráveis da pandemia. A COVID-19, potencializada pelo projeto de morte do governo federal, tem chegado aos territórios de forma devastadora. Segundo a plataforma de monitoramento da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), até o dia 01 de abril, 1029 vidas foram perdidas, 163 povos afetados e 51. 857 pessoas contaminadas. Tudo isso somado aos incêndios criminosos na Amazônia, Cerrado, Pantanal e desmonte de órgãos de fiscalização e controle ambientais.

Aliado ao modelo de desenvolvimento predatório – que viola direitos e explora indiscriminadamente as riquezas naturais para sustentar o capital, o agronegócio, a mineração e madeireiras, combina-se o racismo religioso. O projeto fundamentalista do governo tem adentrado os territórios numa tentativa de minar sua resistência pela imposição da conversão religiosa. Trata-se de uma força política e econômica, de raízes coloniais, que se ampara também no sagrado para aniquilar a existência dos povos indígenas.

Apesar desse cenário de inseguras e violências constantes, os povos indígenas seguem em resistência pelo Bem Viver, defendendo seus corpos e territórios para manter viva sua história. Há 520 anos, resistem a todo um processo de opressão e dominação.

Ao longo de sua trajetória, como organização ecumênica, a CESE segue reafirmando seu compromisso com a luta dos povos indígenas por seus direitos culturais e territoriais. No movimento ecumênico, espaço prioritário de atuação, tem trabalhado para sensibilizar igrejas e organizações à solidariedade e ao engajamento nessa causa, sobretudo na realização de ações de incidência em situações concretas de violência

Uma das maiores expressões do compromisso da CESE com os povos indígenas nesses 48 anos de existência é o suporte financeiro a pequenos projetos que expressam a luta pela resistência e pela garantia de direitos culturais e territoriais desse segmento. Somente nos últimos cinco anos foram 197 iniciativas apoiadas através do Programa de Pequenos Projetos, num total de R$ 1.800.079,00 aplicados, beneficiando cerca de 22 mil famílias. Além disso, a CESE tem também propiciado apoio político por intermédio de posicionamentos públicos, facilitado processos de diálogo e articulação, promovido ações de formação, vivências, intercâmbios e colocado os canais de comunicação institucional para a visibilização e divulgação da luta indígena.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *