15 de setembro é o dia do Ubuntu: vamos abraçar um terreiro?

Você, cristão, cristã e pessoas de diferentes tradições de fé, participe conosco, no dia 15 de setembro, do Dia do Ubuntu: uma ação que tem por objetivo dizer não ao racismo religioso e à intolerância. Neste dia, a ideia é fazer uma visita a um terreiro de Umbanda, Candomblé ou outra manifestação religiosa de origem africana, para levar um “abraço ao terreiro”.

A ação

O Dia do Ubuntu é uma ação do Fórum Ecumênico ACT – Brasil, do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira (CENARAB), da Associação Brasileira de ONGs (ABONG) e da Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político, com o objetivo de afirmar que a intolerância e o racismo religioso destroem o que há de essencial nas tradições de fé: a capacidade de nos reconhecermos como irmãos e irmãs. Somos diferentes em raça, gênero e religião, mas o amor que recebemos de Deus exige que amemos e respeitemos uns aos outros (João 15:12-17)

Ubuntu: o que é isso?

Ubuntu significa “sou o que sou pelo que nós somos”. Quem nos ensina sobre o Ubuntu são nossos irmãos e irmãs africanas. Não há existência possível se não reconhecemos a existência do outro e da outra. Ubuntu é o centro da convivência e da possibilidade de coexistência.

Contexto eleitoral

A campanha eleitoral de 2022 tem se utilizado de características exclusivistas e violentas do cristianismo e insuflado o racismo e o ódio contra as tradições de terreiro. Como pessoas cristãs e de diferentes tradições, não aceitamos que a fé seja usada para reforçar e insuflar ódios, preconceitos e racismo.

Aprender com o diferente

Podemos aprender muitas coisas com nossos irmãos e nossas irmãs de terreiros. Eles nos ensinam a vivência comunitária, a circularidade, o respeito aos mais velhos e às mais velhas, a importância das crianças. Todos pontos que nos levam ao bem viver.

Jesus convivia com as diferenças – e abraçava-as

Jesus conviveu e dialogou com samaritanos e samaritanas (Lucas 10:25-37; João 4:1-40), com siro-fenícios (Mateus 15.21-28), com romanos (Mateus 8:5-13). Jesus não se orientou pelo medo imposto pela relação opressiva entre o Templo e o Império Romano. A certeza do amor de Deus o encorajou a lançar fora todo o medo para ir ao encontro de todas as pessoas – não para torná-las iguais a ele, mas para amá-las na diferença.

Um convite especial

O Dia do Ubuntu nos convoca a sair do círculo de ódio e intolerância e organizar um dia de abraço a um terreiro. Como pessoas cristãs e de diferentes tradições, não queremos a destruição de nenhuma casa onde a fé é celebrada – seja ela qual for. Da mesma forma, não aceitamos que nossa fé seja utilizada como argumento para perseguir qualquer fé. A melhor forma de romper com a intolerância é ir ao encontro.

SERVIÇO

  • Quando: dia 15 de setembro
  • Onde: em todo o Brasil
  • A que horas: o dia todo

COMO ORGANIZAR O ATO EM SUA CIDADE

É simples. Mobilize em sua cidade um grupo de pessoas cristãs, de diferentes confessionalidades (católica, protestantes históricas, pentecostais) e de outras tradições religiosas que acreditam no princípio do Ubuntu. Junto com estas pessoas, identifique um terreiro – preferencialmente em uma periferia, porque são os mais vulneráveis. Dialogue com a pessoa responsável pelo terreiro. Organize todo este dia de abraço com as pessoas que frequentam o terreiro e, no dia 15 de setembro, em horário definido pelo grupo, vá até este terreiro e dê um abraço simbólico.

Faça rodas de diálogo para conhecer a história deste espaço sagrado e como vivem em sua fé. Tire fotos, faça vídeos e poste na redes, utilizando a hashtag #DiaDoUbuntu

Divulgue o Dia do Ubuntu com bastante antecedência para que mais pessoas se engajem!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *